Olá, humanos! Tudo certinho?

Hoje trouxe para vocês uma verdadeira relíquia da minha vida. Alguns sabem, outros não, que eu participei da 3ª Edição do Concurso Escrevendo o Futuro, idealizado pelo Itaú Social, em 2006. O intuito do concurso era selecionar as melhores redações sobre o tema O Lugar Onde Vivo. Eram três categorias (poesia, artigo de opinião e memórias). Crianças matriculadas em escolas públicas do Brasil inteiro participaram. Me lembro um pouco de como foi minha vivência na 5ª série: meus colegas e eu morávamos no Lago Azul Alto, um bairro pobre de Franco da Rocha. Apesar de tantos problemas, achávamos que poesia só enfatizava o belo, o que não era verdade. Sob a supervisão do prof Luiz Cássio, que dava aulas de português para nós, fizemos as oficinas propostas pelo Concurso.

No final das contas, minha poesia foi para a semifinal estadual e fui escolhida como a melhor de São Paulo. ❤ Na final do Concurso, fiquei em 2º lugar. Por pouco não ganhei a bolsa de estudos oferecida ao primeiro colocado, mas as experiências foram incríveis.

Revirando a internet uns dias atrás, reencontrei o poema que me garantiu vaga na final de um Concurso tão concorrido. Então gostaria de compartilhar com vocês aqui:

De um Lado
De um lado é só beleza,
De outro, as queimadas.
De um lado é natureza
Do outro, áreas desmatadas.
De um lado é tudo verde
Do outro, muita poluição.
De um lado boa gente,
De outro só ladrão!
De um lado boa comunidade
Do outro, tem boca-de-fumo.
De um lado há seriedade
Do outro, “Será que é o fim do mundo?”
De um lado é alegria
Do outro, muita carência.
De um lado é só folia
Do outro, EMERGÊNCIA!
De um lado encanamento
Do outro, uma fossa.
De um lado o aperfeiçoamento
Do outro, “Minha Nossa”!
De um lado filme novo só na TV
De outro, criança na rua a brincar.
Alguém com roupa de shopping é difícil de ver
Dá até vontade de gritar.
De um lado gente lá no ALTO
Do outro, gente lá embaixo.
É difícil de se acreditar,
Mas tudo isso é no mesmo lugar.

Anúncios